APEA

Associação Portuguesa de Entusiastas de Aviação
Data/Hora: segunda jul 06, 2020 2:51 am

Hora +01:00 UTC+1




Criar Novo Tópico  Responder a este Tópico  [ 1 mensagem ] 
Autor Mensagem
MensagemEnviado: quinta nov 18, 2010 6:05 pm 
Desligado
Avatar do Utilizador

Registado: sábado nov 21, 2009 11:40 pm
Mensagens: 84
Localização: Lisboa - Carnide
Autoridade Nacional para Meteorologia Aeronáutica [ANMA]

Portugal assinou a Convenção sobre a Aviação Civil Internacional, conhecida como Convenção de Chicago, que prevê, de entre outras matérias, o fornecimento de serviços de meteorologia aeronáutica à aviação civil internacional.

Nos termos da referida Convenção cada Estado contratante deve possuir as suas próprias normas e regulamentos sobre o seu território e adoptar as normas e procedimentos Internacionais, Regionais e Nacional de modo a garantir o mais elevado grau de uniformidade de normas, regulamentos, procedimentos e organização.

As normas e práticas emanadas pela ICAO, no domínio da meteorologia aeronáutica, encontram-se previstas no Anexo 3 da referida Convenção.

Cada Estado deve assim:

a) designar uma Autoridade para a Meteorologia Aeronáutica que tome as providências no sentido de garantir que são cumpridas todas as normas e procedimentos no que concerne à prestação do serviço meteorológico para a aviação civil internacional;

b) assegurar que a Autoridade para a Meteorologia Aeronáutica cumpre com as normas e procedimentos da Convenção sobre a Aviação Civil Internacional, respeitando as qualificações, formação e experiência exigidas internacionalmente aos colaboradores que prestem serviço no âmbito da meteorologia aeronáutica;

c) garantir que a Autoridade para a Meteorologia Aeronáutica regula, supervisiona e fiscaliza o cumprimento de todas as normas e procedimentos, implementando um sistema de qualidade que verifique os processos e os recursos envolvidos, no domínio da meteorologia aeronáutica, tendo em vista a qualidade dos serviços prestados.

Acresce, ainda, que cada Estado contratante deve garantir que o sistema da qualidade cumpre com o disposto na Norma ISSO 9001:2000 e que se encontra certificado por uma entidade, devidamente credenciada para o efeito.
O Instituto de Meteorologia, I. P. é, de acordo com o artigo 20º do Decreto-Lei nº 157/2007, de 27 de Abril, a autoridade nacional para a meteorologia aeronáutica. Neste contexto, no sentido de assegurar o cumprimento das obrigações decorrentes da Convenção de Chicago, da Organização Meteorológica Mundial, bem como da regulamentação do Céu Único Europeu, designadamente, o Regulamento (CE) n.º 549/2004 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 10 de Março de 2004, e Regulamento (CE) n.º 550/2004 do Parlamento e do Conselho, de 10 de Março de 2004, foi criada uma unidade orgânica flexível que apoia o Conselho Directivo do IM, I.P., enquanto Autoridade para a Meteorologia Aeronáutica, denominada Gabinete de Apoio à Autoridade Meteorológica para a Aeronáutica (GAMA).
Documentos de referência:
• Organização
• Legislação
• Regulamentos
• Manual PSNAI 2ª edição icon pdf http://www.meteo.pt/export/sites/defaul ... I_vs01.pdf
• Procedimentos
• Procedimento 03 - ANMA icon pdf
• Procedimento 04 - ANMA icon pdf
[disponibilizados no site do IM - http://www.meteo.pt/pt/aeronautica/ama/ ]
Gabinete de Apoio à Autoridade Meteorologica para a Aeronáutica [GAMA]

Este gabinete deve actuar no sentido de garantir o cumprimento, por parte da Autoridade Nacional para Meteorologia Aeronáutica, de toda a legislação – Internacional, Regional e Nacional - que se encontre em vigor.

A referida unidade flexível, que depende directamente do Conselho Directivo do IM, I.P., tem, de entre outras, as seguintes competências:

i) Elaborar propostas de legislação no domínio da meteorologia para a aviação civil nacional e internacional nas Regiões de Informação de Voo (RIV) de Lisboa e Santa Maria;

ii) Propor, através de regulamento, as normas e recomendações aplicáveis aos prestadores de serviços de meteorologia aeronáutica em cada aeródromo;

iii) Propor a certificação dos prestadores de serviços de meteorologia aeronáutica nos aeródromos;

iv) Realizar ou promover a realização de auditorias e acções de fiscalização e inspecção aos prestadores de serviços de meteorologia da aviação civil, para verificação do cumprimento das normas e regulamentos aplicáveis no âmbito da meteorologia aeronáutica;

v) Propor, ouvindo os utilizadores e prestadores de serviços, no domínio da navegação aérea, os produtos e serviços a disponibilizar em cada aeródromo;

vi) Propor, em conformidade com a regulamentação Internacional, Regional e Nacional aplicável, e em articulação com as demais entidades intervenientes no processo, os requisitos de formação e de qualificação do pessoal que presta serviços de meteorologia para a aviação civil e as características e localização dos equipamentos e instrumentos meteorológicos, de acordo com as condições operacionais de cada aeródromo;

vii) Propor a certificação dos prestadores de serviços de formação na área da meteorologia para a aviação civil;

viii) Propor a cobrança de taxas e a aplicação de coimas, nos termos da legislação e regulamentos aplicáveis.

_________________
Ricardo Rodrigues
Sócio Nr. 237


Topo
   
Mostrar mensagens anteriores:  Ordenar por  
Criar Novo Tópico  Responder a este Tópico  [ 1 mensagem ] 

Hora +01:00 UTC+1


Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 21 visitantes


Criar Tópicos: Proibido
Responder Tópicos: Proibido
Editar Mensagens: Proibido
Apagar Mensagens: Proibido
Enviar anexos: Proibido

Pesquisar por:
Ir para:  
cron
Desenvolvido por phpBB® Forum Software © phpBB Limited
Traduzido por: phpBB Portugal